Os transtornos causados em pacientes que possuem o Pectus podem afetar bastante o dia a dia e principalmente a vida social dessa pessoas, uma vez que essa condição interfere bastante na autoestima e pode ser notada já na infância.

Mas, a partir de que idade o tratamento de Pectus é recomendado?

O que é Pectus, afinal?

Com toda a certeza você já ouviu em algum algum as expressões “peito de sapateiro” ou “peito de pombo”.

Esses termos são dados às deformidades da parede do tórax que ocorrem por causa do crescimento irregular e anormal das cartilagens da costela, da própria costela e também do osso esterno.

Os motivos que levam alguém a ter Pectus ainda sao desconhecidos pela medicina, mas a doença começa a se manifestar e ser notada já em crianças de quatro ou cinco anos de idade.

Porém o mais comum é aparecer de fato na adolescência que é quando os hormônios de crescimento começam a influenciar na cartilagem e nos ossos.

O Pectus não é uma condição muito comum e atinge somente 1% das pessoas ao redor do mundo e é mais comum entre os homens.

Conheça os diferentes tipos de Pectus:

Pectus Excavatum

Mais conhecido como “peito de sapateiro” ou “peito escavado”, essa deformidade é a mais comum e é caracterizada por um depressão das costelas e do osso esterno para dentro do peito, o que causa uma espécie de afundamento nesta região.

Pectus Carinatum

O mais difícil de ser encontrado, esse tipo de Pectus é conhecido popularmente como “peito de pombo” e apresenta uma deformidade na caixa torácica causada pela elevação do esterno.

Pectus Misto

É a junção, como o próprio nome diz, dos Pectus Excavatum e Carinatum em um mesmo paciente, ou seja, a elevação e também o afundamento da caixa torácica.

Pectus Iatrogênico

É uma condição que se desenvolve a partir de uma cicatriz causada por um incisão no osso esterno, que pode ser resultado de uma intervenção cirúrgica cardíaca ou também por um trauma em múltiplas costelas.

Existe tratamento de Pectus para crianças?

Sim! Os tratamentos para todos os tipos de Pectos podem ser cirúrgicas e não cirúrgicas, e são indicados tanto para pacientes adultos como para pacientes infantis.

A cirurgia torácica pediátrica pode sim ser realizada ainda durante a infância e evitar problemas graves no futuro, tanto físicos, como psicológicos já que pode interferir seriamente na auto estima e vida social de uma criança.

A deformidade causa pelo pectus pode começar a aparecer com quatro anos de idade e, normalmente se estabiliza quando o paciente atinge a maioridade.

Os casos mais sérios da doença podem causar o deslocamento do coração para o lado esquerdo, compressão pulmonar e dificuldade em realizar exercícios físicos.

Existem também alguns casos em que pacientes sentem fortes arritmias e dores na região da deformidade.

O ideal é que, a partir do momento em que o Pectus for identificado em uma criança, logo na infância, os responsáveis a encaminhe para um médico que faça as avaliações necessárias e comece com o tratamento recomendado pelo caso, que pode ser cirúrgico ou não cirúrgico.

O Dr. Malucelli possui mais de 20 anos de experiência em tratamento cirúrgicos ou não cirúrgicos para todos os tipos de Pectus.

Participante ativo de diversos congressos na área, em diferentes lugares do mundo, o Dr. sempre volta repleto de novidades e cada vez mais especializado no assunto.

Entre em contato através do site, tire todas as suas dúvidas e marque uma avaliação para saber mais sobre o tratamento de Pectus em crianças.

Não permita que uma criança tenha sua infância afetada por causa do Pectus. Existe tratamento e cura!

Relacionados: