Quem acha que a Hiperidrose, mais conhecida como excesso de suor causa apenas problemas estéticos na vida de quem convive com essa condição, engana-se. A questão é mais séria e pode afetar profissional e socialmente os pacientes.

O que causa a Hiperidrose?

Caracterizada pela ocorrência do suor excessivo em áreas específicas do corpo, a hiperidrose é uma condição benigna e que ocorre por causa de uma disfunção do sistema nervoso simpático, que envia mensagens equivocadas ou exageradas várias vezes ao dia, o que faz com que as glândulas sudoríparas produzam suor em quantidades maiores que as necessárias.

Quais os sintomas?

Primeiramente o suor em excesso que acontece de forma episódica, ou seja, aparece e desaparece várias vezes ao dia, no calor ou no frio. Umedecer, molhar ou encharcar algumas áreas do corpo de quem possui a hiperidrose é bastante comum e nada agradável. Normalmente as áreas mais afetadas são as mãos, axilas, rosto, couro cabeludo, nádegas, virilhas e pés.

Quais são os tratamentos disponíveis?

A verdade é que existem vários tratamentos para a sudorese excessiva que são divididos em duas formas: cirúrgicos e não cirúrgicos.

Dentre as conhecidas opções não cirúrgicas estão os medicamentos que vão desde o uso de antitranspirantes especiais, tratamentos psicoterápicos, comprimidos e cremes manipulados e o uso de toxina botulínica, mais conhecida como botox.

De uma maneira ampla, esses métodos costumam surtir mais efeito em casos leves e somente a curto e médio prazo, fazendo-se necessária uma constante manutenção para que o paciente tenha de fato a sua qualidade de vida amplificada.

As opções de tratamento que envolvem técnicas cirúrgicas exigem a aspiração das glândulas das axilas ou a simpatectomia ou cirurgia do suor, que consiste no bloqueio de gânglios da cadeia simpática. A segunda opção é realizada por vídeo, através de pequenas incisões e pode significar a cura definitiva para os pacientes que sofrem com os sintomas
da Hiperidrose.

A questão que precisa ser avaliada com cuidado, antes de iniciar qualquer tratamento é que cada caso responde de uma maneira. Existem situações em que uma pessoa precisa da associação de técnicas cirúrgicas e não cirúrgicas para um resultado efetivo. Por isso, a necessidade de um profissional bastante qualificado para realizar um diagnóstico preciso.

Quais as novidades na área de Hiperidrose?

De acordo com estudos avançados de cientistas brasileiros em algum tempo poderá ser possível controlar o suor somente com o uso de medicamentos controlados.

Um estudo concluído recentemente pela Universidade de São Paulo utilizou a oxibutinina como medicação para o tratamento da hiperidrose e os resultados foram bastante satisfatórios: entre 50 e 70% dos pacientes responderam bem ao uso do medicamento.

No entanto, a questão é que o efeito da toxina botulínica não é definitivo e o seu uso é periódico.

O uso dessa substância não é exatamente uma novidade no tratamento do suor excessivo, o problema são efeitos colaterais como dor de cabeça e boca seca. Dessa vez o estudos estão concentrados em minimizar essas situações adversas.

Por enquanto as técnicas que garantem os melhores resultados são as cirúrgicas.

O Dr. Malucelli possui anos de experiência no tratamento da Hiperidrose e trata cada caso de maneira única, respeitando as necessidades de cada paciente. Agende uma avaliação, entre em contato e descubra qual tratamento é o mais indicado para o seu caso.

Relacionados: