Ficar constrangido diversas vezes ao dia por conta de um suor excessivo que acontece independente do clima ou da atividade realizada… se você se identifica com esse caso saiba que a cirurgia do suor pode ser a sua melhor opção.

Já falamos aqui no blog anteriormente sobre a hiperidrose, também conhecida como a o suor excessivo em áreas específicas do corpo.

O suor em excesso é considerado uma doença, porém, não leva ninguém a óbito e nem diminui o seu tempo de vida.

Em contrapartida, o paciente precisa lidar com um frequente incômodo e, desta maneira, acaba interferindo a sua qualidade de vida.

Como acabar com o suor excessivo?

Existem algumas opções de tratamentos disponíveis para a hiperidrose envolvendo técnicas cirúrgicas e não-cirúrgicas.

Se caso o paciente não quiser uma intervenção cirúrgica, estará optando por um recurso que envolve medicamentos, sejam eles em forma de antitranspirantes, comprimidos, cremes manipulados, utilização de lontoforese e a aplicação toxina botulínica, também conhecida como Botox.

Porém, esta opção (com exceção dos casos leves) apenas irá amenizar o problema a curto e médio prazo.

Se o paciente quer uma solução definitiva e que não precisa de uma constante manutenção para atingir o resultado esperado, certamente deverá optar pela cirurgia do suor.

Como é feita a cirurgia do suor?

Chamada de simpatectomia, cirurgia de sudorese ou mesmo cirurgia de hiperidrose, a cirurgia do suor é um procedimento que pode ser realizado tanto em homens como em mulheres.

Este procedimento é dividido em dois tipos e pode ser realizado na região do tórax ou na do abdômen. Isso varia de acordo com o local que o paciente apresenta as características do suor em excesso.

O primeiro método é a simpatectomia torácica e, como o próprio nome já induz, é realizado na região do tórax e busca eliminar o suor em excesso da face, couro cabeludo, pescoço, mãos, axilas e o odor das axilas, através de pequenas incisões por videocirurgia.

Em alguns casos mais específicos, ele pode ser feito para eliminar o suor das costas/tórax e abdômen também.

A outra intervenção se chama simpatectomia lombar e é realizada na região do abdômem.

Ela é responsável pela eliminação do suor das nádegas, virilhas, coxas e pés e serve também para retirar o mau odor dos pés.

O que acontece com o meu corpo depois da cirurgia do suor?

Na verdade, é importante lembrar que o resultado de uma intervenção cirúrgica pode variar muito de pessoa paciente para paciente e, por isso, é necessário sempre buscar um atendimento médico individualizado.

Mas, ao optar pela intervenção cirúrgica, saiba que, normalmente, os efeitos positivos começam a aparecer ao final do procedimento ou em até 15 dias após a cirurgia.

Quais são os efeitos colaterais?

A cirurgia do suor é conhecida como um processo rápido, seguro e pode ser definitivo na grande maioria dos casos.

Porém, em algumas situações, após ocorrer o procedimento cirúrgico, pode acontecer um aumento ou aparecimento de suor em outras áreas do corpo do paciente, o chamado suor compensatório.

Mas isso não é motivo de preocupação ou desistência, afinal, apenas 8% das pessoas apresentam esse quadro em grande intensidade.

Sem contar que, existem diversos outros tratamentos para tentar solucionar este quadro.

Por isso, busque uma vida saudável e procure acabar de vez com esse quadro que prejudica o seu bem-estar!

Marque uma avaliação online com o Dr. Malucelli ou se preferir, agende uma consulta com ele, conheça o seu caso e tire todas as dúvidas.

Relacionados: